sexta-feira, maio 20Notícias
Shadow

ABEL/Moda Brusque enfrenta Minas pela Superliga B

O time catarinense entra em quadra nessa sexta-feira, 21h30min, no Minas Tênis Clube

Brusque está em festa por voltar a disputar campeonatos nacionais com o time de vôlei ABEL/Moda Brusque. A equipe feminina joga nessa sexta-feira, 21h30min, na Arena Minas, contra o Minas Tênis Clube (Minas Náutico). No próximo dia 28, a disputa é no Rio de Janeiro, contra o Clube de Regata Flamengo. O time, criado ano passado, sofreu uma reformulação nesse início de ano, mas o técnico Mauricio Thomas, eleito o melhor treinado da competição na Superliga C, está otimista com a vitória das atletas. “Estamos treinando todos os dias e o time está bastante entrosado”, declara.

No ano passado, o ABEL Moda/Brusque participou de 9 disputas e venceu todas, sendo 4 na Superliga C e 5 no Campeonato Catarinense. A expectativa esse ano é de ter resultado semelhante. “Se depender da garra das atletas, já vencemos”, brinca.

O time fez uma estreia tão boa no ano passado que cinco das suas jogadoras foram convidadas para jogarem em times maiores. Pully, Edneia e Juliana Nogueira foram para o Peru ganhar em dólar, Flávia para Tunísia e Livia para o Bradesco (SP). Em seus lugares entraram a meia de rede Glaucia Aline Ludescher, a ponteira Alessandra Engler, do Clube de Saudades, Geovana Vitoria, de Uberlândia, que jogou pelo Manpituba a Superliga C, Daniela Baum, do Clube de Taubaté, e a levantadora Beatriz Fornazaro, de Maringá.

O time é resultado do esforço conjunto da Associação Brusquense de Esporte e Lazer (Abel), diretoria de Turismo e a Fundação de Esportes (FME), de Brusque. E entraram como parceiros as empresas Fibrafisio, que oferece suporte na parte de fisioterapia, a academia ForceOne, para treinamento físico, FIP, RVB, Fran Fitness, HJ, Prefeitura, HR Têxtil, Cartão Azambuja, Ebenezer e Vale das Toalhas. Para a Superliga B, o time conta com o apoio da Massaneiro Turismo, que está responsável por duas das viagens.

O projeto ABEL tem 9 anos e quase 5 mil crianças já passaram por ele. Alguns já são atletas profissionais jogando em times fora do País. Para Maurício esse time feminino é uma nova possibilidade para o projeto de categorias de base da Abel. “Essas crianças têm um espelho, um modelo como ideal para seus futuros, principalmente agora que somos a equipe vencedora do estadual de vôlei”, afirma.

Liliani Bento
New Age Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.