quinta-feira, novembro 30Notícias
Shadow

A busca pelo equilíbrio alimentar: mitos e verdades sobre o consumo de laticínios

*Por Liz Galvão, nutricionista parceira da Verde Campo

Em uma sociedade que busca o retorno a uma vida saudável, após décadas de fast-food e sedentarismo em massa no mundo todo, ainda há muito terrorismo nutricional em relação a vários tipos de alimentos.

Não existe a confirmação de como surgiram os mitos sobre alimentos lácteos, mas se utilizados na medida certa, podem ser aliados importantes para a criação de uma rotina mais saudável e nutritiva, pois são fontes de proteína e gordura, além de micronutrientes como cálcio, fósforo, vitamina A e principalmente vitamina B12.

A alergia à proteína do leite (como a caseína) é uma condição bem comum, principalmente em crianças. Já a intolerância à lactose é a intolerância alimentar mais comum nos dias de hoje, e atinge mais adultos. Porém, geralmente as intolerâncias atribuídas aos produtos estão relacionadas ao excesso de açúcar adicionado, além de corantes, adoçantes e aromatizantes artificiais.

De acordo com a pirâmide alimentar e o guia alimentar brasileiro, de forma geral, é indicado o consumo de três porções por dia de laticínios; cada uma deve incluir em média 120 calorias. Mas, como ressaltado anteriormente, é uma orientação geral. Indicações específicas e personalizadas são importantes e devem ser feitas com o acompanhamento de um nutricionista.

Hoje, a indústria de ingredientes lácteos apresenta novidades nas soluções de aplicação de produtos para atender o consumidor de alimentos com alto valor proteico. Existem iogurtes e shakes que estimulam a síntese e regeneração muscular após o exercício físico, evitando dores, fadiga, lesões e aumentando a performance e recuperação do corpo, além da reposição de glicogênio muscular (“estoque de energia” do músculo). As proteínas desempenham importante papel nos processos anabólicos, fornecendo os aminoácidos necessários e essenciais para a construção e manutenção dos tecidos. São de extrema importância na formação, reparação e recuperação de massa muscular.

O mais importante nessa busca por uma dieta balanceada é consumir lácteos de qualidade, de marcas que se preocupam em trazer saudabilidade, sabor e cada vez rótulos mais “limpos” com menos ingredientes nas composições. É importante procurar saber se o produto possui ingredientes de origem natural e evitar os que possuem muito sódio, aditivos químicos artificiais e que são um “produto alimentício” e não um alimento em si.

O corpo precisa de variedade de nutrientes, por isso também é importante combinar o consumo de laticínios com grãos, frutas, vegetais, tubérculos, sementes e oleaginosas. Assim como qualquer outro alimento ou produto, os lácteos precisam ser consumidos com moderação. Ainda é importante associar a prática de atividades físicas à boa alimentação, para que se tenha uma saúde equilibrada.

Veja agora alguns mitos e verdades sobre alimentos derivados do leite:

VERDADE: os laticínios podem causar alergias e/ou intolerâncias alimentares

A alergia à proteína do leite (como a caseína) é uma condição bem comum, principalmente em crianças, e a intolerância à lactose também é corriqueira nos dias de hoje, atingindo mais os adultos. A intolerância acontece quando o corpo tem alguma deficiência na produção ou ação da enzima lactase, responsável por quebrar a lactose (açúcar do leite) em partes menores (glicose e galactose) para, então, serem absorvidas pelo organismo.

MITO: quem tem intolerância à lactose não pode consumir lácteos

É um mito, pois é possível consumir laticínios “sem lactose”, com a enzima lactase adicionada ao produto. Dessa maneira, esse açúcar do leite já vai estar pré-digerido. Ainda existe a possibilidade de consumir laticínios convencionais e suplementar à parte a enzima.

VERDADE: os laticínios são inflamatórios

Caso tenha uma das condições acima (alergia ou intolerância) e continua consumindo os laticínios, de fato, a probabilidade de ter processos inflamatórios é muito alta. Mas caso não tenha essas condições e consuma boas fontes de lácteos, a chance de adquirir inflamações por causa desses alimentos não é relevante.

MITO: laticínios proteicos que possuem whey protein só podem ser consumidos por quem pratica exercício físico

Qualquer pessoa que precisa aumentar o consumo proteico (do dia ou apenas da refeição) pode consumir iogurtes e shakes proteicos, pois a proteína é um nutriente fundamental para o organismo.

*Liz Galvão é nutricionista parceira da Verde Campo, pioneira no mercado de lácteos sem lactose – E-mail: verdecampo@nbpress.com.br.

Sobre a Verde Campo

Criada em 1999, a Verde Campo possui o DNA da inovação na oferta de produtos saudáveis e de qualidade aos brasileiros. Com sede em Lavras, no interior de Minas Gerais, é pioneira no mercado de produtos sem lactose, englobando linhas de iogurtes, shakes, queijos, requeijão e creme de leite. Para garantir produtos 100% naturais e livres de corantes e aromas artificiais, a Verde Campo conta com soluções tecnológicas para garantir que todo o processo, da fazenda à mesa do consumidor, estimule a saudabilidade. Em 2018, a marca foi pioneira em lançar um manifesto pela vida saudável, abolindo ingredientes artificiais de todos os seus produtos. Desde 2016, integra o portfólio da Coca-Cola Brasil.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *