quarta-feira, abril 24Notícias
Shadow

Setembro Amarelo: alimentação baseada em orgânicos ajuda na saúde mental

Entenda como uma dieta saudável e livre de agrotóxicos pode fazer a diferença para o bem estar emocional das pessoas

A preocupação direcionada a qualidade de vida é pauta todos os dias do ano, mas neste momento recebe especial destaque por conta da campanha Setembro Amarelo. Hoje, graças ao avanço da ciência, sabemos que o bem-estar é fruto de uma série de medidas adotadas de forma conjunta, e não apenas de práticas isoladas. Uma das ações mais importantes nesse sentido é a opção por uma alimentação equilibrada e saudável.

No entanto, manter uma dieta de qualidade nos dias de hoje é uma tarefa um tanto quanto desafiadora, sobretudo porque muitas vezes somos tentados a consumir alimentos industrializados, mais fáceis de serem preparados, para ganhar tempo em uma rotina extremamente corrida. Por outro lado, há de se destacar que já existem empresas empenhadas em mudar esse cenário, e contribuir para uma mudança de hábito da população, oferecendo de forma simples e econômica os alimentos saudáveis.

Uma das marcas que sobressaem neste quesito é a Diferente, foodtech focada no acesso a alimentos saudáveis na América Latina. Por meio de um modelo de negócio baseado em entregas por assinatura, a empresa leva alimentos orgânicos e livres de agrotóxicos ao domicílio de seus usuários em São Paulo (SP) e outros 51 municípios do estado. 

De acordo com Eduardo Petrelli, CEO e cofundador da Diferente, o grande objetivo da empresa é democratizar o acesso da população brasileira aos alimentos orgânicos e frescos. “A rotina baseada em comidas orgânicas garante mais nutrientes necessários para o bem estar humano. Isso acontece principalmente por não contarem com o uso de agrotóxicos no processo do plantio, carregando, assim, mais nutrientes responsáveis pela boa manutenção do corpo e da mente”, explica.

O uso de agrotóxicos, aliás, é um problema grave dentro do agronegócio brasileiro. Segundo dados divulgados pela Anvisa, as reações desses componentes químicos dentro do corpo humano são maléficas, podendo ocasionar em dificuldade para dormir, problemas respiratórios graves, ansiedade, anormalidade da produção de hormônios da tireóide, dos ovários e da próstata, e, a longo prazo, acarretar em depressão e dificuldades para gerar filhos. 

Apesar disso, o uso desses produtos no território nacional segue bastante elevado. De acordo com insumos divulgados pela Embrapa, são consumidas cerca de 130 mil toneladas de agrotóxicos anualmente no país. Para se ter uma ideia, nos últimos 40 anos a área agrícola nacional aumentou 78%, enquanto o uso desses produtos cresceu 700% durante o mesmo período.

Diante desse cenário, Petrelli destaca a importância do objetivo da foodtech em tornar os produtos saudáveis e livres de agrotóxicos mais acessíveis para o brasileiro. “Além da saúde física, o bem estar mental é outro grande benefício gerado com a adoção de uma dieta rica em alimentos orgânicos. Todo transtorno emocional possui um vínculo próximo com o que consumimos. Logo, uma dieta composta de melhores nutrientes pode ser fator determinante para uma saúde mental mais equilibrada e satisfatória”, completa. 

Para assegurar a democratização dos orgânicos, a Diferente opera com produtos até 40% mais baratos em relação aos preços praticados em mercados, uma vez que as suas cestas são compostas por alimentos que são perfeitos para consumo, porém considerados “diferentes” demais para irem às gôndolas dos supermercados. “Nosso foco é tornar o cardápio do brasileiro mais saboroso, saudável e acessível para o bolso de todos”, completa o executivo. 

Sobre a Diferente

A Diferente é a maior foodtech focada no acesso a alimentos saudáveis na América Latina. A startup entrega na casa dos clientes itens orgânicos e frescos até 40% mais baratos em relação aos preços praticados em mercados, ao mesmo tempo que combatem o desperdício alimentar. Isso porque parte das cestas são compostas também por alimentos que são perfeitos para consumo, porém considerados “diferentes” demais para irem às gôndolas dos supermercados. Além disso, utiliza inteligência artificial para criar a cesta perfeita a cada cliente, fator que otimiza toda a cadeia de suprimentos e gera economia direta ao usuário. Lançada no início de 2022, a foodtech já captou R$ 40 milhões e projeta forte expansão nacional nos próximos anos.

About Author