domingo, julho 21Notícias
Shadow

Companhia elétrica catarinense, CELESC obtém R$ 214 mi do BNDES para geração solar e hidrelétrica

  • Controlada pelo governo do estado, empresa investirá em 5 usinas das duas fontes
  • Investimentos serão em Blumenau, Lages, Capivari de Baixo, Videira e São José
  • Limpa e renovável, energia será suficiente para atender 70 mil domicílios

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 214,4 milhões para a Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC) investir na ampliação da capacidade de geração de energia solar e hidrelétrica. Quando concluídos, os projetos devem gerar energia limpa e renovável suficiente para atender cerca de 70 mil domicílios, o que corresponde a uma cidade de aproximadamente 280 mil habitantes. 

A maior parte do financiamento é destinada à ampliação e modernização da usina hidrelétrica Salto Weissbach, em Blumenau, que está em operação desde 1914. A estrutura, que utiliza água do rio Itajaí-Açu, terá a capacidade instalada expandida de 6,28 MW para 29,28 MW. Mantendo o reservatório, o projeto prevê a construção de um novo circuito de geração na usina, que contará com duas novas unidades geradoras com potência de 11,5 MW cada.

O crédito viabilizará ainda a implantação de usinas solares fotovoltaicas e sistemas de transmissão nos municípios de Capivari de Baixo, Lages e Videira. Painéis solares, que totalizam 5 MW de capacidade, serão instalados na área de concessão do Grupo CELESC, que é controlado pelo governo de Santa Catarina e atua na geração, transmissão e distribuição de energia.

A empresa também reativará a Central Geradora Hidrelétrica Maruim, situada às margens do rio Maruim, no município de São José (SC). A unidade operou ininterruptamente durante 62 anos com seu maquinário original e foi desativada em 1972. A CGH receberá duas novas unidades geradoras, com 1 MW de capacidade instalada total. A Casa de Força da usina, que é um imóvel tombado como patrimônio histórico-cultural da cidade, também passará por revitalização.

“Ao BNDES, interessa financiar investimentos na repotencialização de usinas hidroelétricas, além da geração solar, porque essa é uma forma eficiente de ampliar a geração de energia limpa e de reforçar a segurança do sistema interligado nacional’, destacou a diretora de Infraestrutura, Transição Energética e Mudança Climática do Banco, Luciana Costa.

Os recursos do BNDES responderão por, aproximadamente, 80% dos R$ 273 milhões que a CELESC investirá nos cinco projetos. As usinas contribuirão para expandir e diversificar a capacidade de geração de energia elétrica, com acréscimo total de 29 MW de fonte limpa e renovável, sem emissão de gases de efeito estufa.